sábado, 18 de julho de 2015

Distintivo do Curso Fiscal. Finalmente!



Finalmente começamos a ver  o pessoal da Guarda Fiscal e da GNR com o Curso Fiscal, no ativo, ostentando o distintivo do Curso Fiscal no fardamento.
Já tínhamos alertado, várias vezes,  ser incompreensível  e discriminatório  a GNR não deixar os militares da Guarda Fiscal, particularmente, os que não integravam a Brigada Fiscal / UCC/ UAF, usarem um distintivo da especialidade  "Fiscal", tanto mais que havia distintivos na GNR para toda a espécie de cursos, alguns ministrados em poucos dias.
 Afinal o distintivo existia, e há muitos anos, estava era fechado nas "gavetas" do Quartel do Carmo.
Apelamos pois ao pessoal da Guarda Fiscal e da GNR com o  Curso Fiscal  que passem a usar o nosso distintivo.





Posto da Guarda Fiscal de Foz do Arelho

Chegou-nos mais uma imagem - postal antigo - de um quartel da Guarda Fiscal que se presume ser dos primórdios da GF. Trata-se do posto de Foz do Arelho, perto das Caldas da Rainha.

Custódio Duarte


domingo, 5 de julho de 2015

Posto Fiscal de Vale de Espinho - Secção do Sabugal


O camarada João Antunes teve a amabilidade de nos enviar uma foto do  antigo Posto da Guarda Fiscal de Vale de Espinho, que pertencia à Secção do Sabugal.
Certamente alguns dos amigos do Picachouriços-Guarda Fiscal passaram por este velho Quartel e dele terão vastas recordações.
 A foto é do início dos anos 60 do século xx. Com atenção pode-se ver por cima da porta de entrada a  bonita identificação do posto, que nestes tempos era uma chapa de esmalte azul com as letras a branco. Tanto quanto sabemos, este posto era alugado tendo a casa sido entregue aos proprietários.
Alguém nos sabe dizer se ainda existe este velho quartel?

Cumprimentos do Custódio Duarte.

(Envie as suas fotos e outras informações para picachouricos@gmail.com)




terça-feira, 2 de junho de 2015

Postos Fiscais do Concelho do Alandroal






















Posto da Guarda Fiscal de Foz de Pardais

Numa gentileza do senhor Luís Lobato de Faria, publicamos as fotos (do ano de  2014) relativas a três postos do Concelho do Alandroal que se encontram, obviamente, desativados. Tratam-se dos postos de Montejuntos, Alandroal e Foz dos Pardais, quartéis por onde muitos Guardas Fiscais passaram e de que terão muitas memórias.

Ainda segundo informação do Sr. Lobato Faria  o de Montejuntos pertence à Administração Interna [certamente GNR], e o do Alandroal à Câmara Municipal . Diz-nos ainda que existe um recuperado  em Juromenha que pertence à Câmara Municipal, outro também restaurado em  Minguéns que julga ser de privados. Existem mais dois em Milréu e Mocissos mas que este nosso amigo não tem conhecimento como se encontram. Sobre o Posto de Foz de Pardais, o Senhor Lobato Faria informou-nos que um filho de um Guarda Fiscal,  que tinha prestado serviço naquele posto, lhe disse que a família vivia numa "casa" de cana junto ao Posto.
Outras informações e relatos sobre estes postos e a sua vivência envie para. picachouricos@gmail.com
CD























Posto da Guarda Fiscal de Montejuntos
                                                                             

Posto da Guarda Fiscal do Alandroal























Mapa dos Postos Fiscais do Concelho do Alandroal
































segunda-feira, 1 de junho de 2015

VIII (RE)ENCONTRO DA VELHA GUARDA ALMOÇO/CONVÍVIO EM PAREDES 27 DE JUNHO DE 2015

O Picachouriços - Guarda Fiscal deseja os melhores sucessos a mais esta iniciativa de convívio entre o pessoal das Guardas. Pena é que a GNR, onde serviram e servem elementos destas três prestigiadas  Guardas, não desenvolva iniciativas semelhantes. 

Um Bem - Haja aos organizadores!

A Equipa do Picachouriços - Guarda Fiscal 

VIII (RE)ENCONTRO DA VELHA GUARDA
ALMOÇO/CONVÍVIO EM PAREDES
27 DE JUNHO DE 2015




Caros companheiros

Um grupo de amigos, tendo em comum o terem servido a Guarda e acabando separados no esquecimento, lembrou-se que podia organizar encontros periódicos da VELH@ GUARDA a fim de colocar a amizade em dia.

“NÓS, A VELHA GUARDA, ESTAMOS CÁ”

Esperamos por vós e tragam as famílias e outros camaradas.

A VELH@ GUARDA

PROGRAMA

10h30 – Recepção
– Campo da Feira de Paredes (junto ao Posto da GNR)
11h00 – Missa na Igreja de Paredes
12h30 – Almoço/Convívio
Casa da Vessada – Travessa das Cancelas, 56, 4580-005 Paredes
(a 700 metros do centro de Paredes na EN 108 em direcção a Lousada)

EMENTA

Entradas – Rissóis, bolinhos de bacalhau, orelha de porco, etc.
Almoço – Creme de legumes - Filetes de peixe - Vitela e lombo assado.
Sobremesas – Fruta laminada, bolos variados, bolo comemorativo e café
Vinho verde e maduro

Preço por pessoa: 25€
Crianças dos 5 aos 10 anos: 12,5€
Crianças até aos 4 anos: Grátis

Nota: confirmem até 20 de Junho por telefone ou mail. Para os organizadores habituais ou para o contacto abaixo. (José Leal).
(917163756 ou 255777406) – zemanueleal@gmail.com

*****

915835559 - 964008992
Belmiro Carvalho

914181857
Félix Barbosa

919751239
Davino Coutinho

917730145
Cândido Monteiro

916461194
António Lopes

919573444
Eduardo Lopes

964206236
Bento Carvalho

938019919    
Eduardo deQueiroz



--
Com os melhores cumprimentos,

Pel/ A Velha Guarda,
Eduardo deQueiroz

quarta-feira, 6 de maio de 2015

INDIGNIDADE e PAROLICE

DA INDIGNIDADE

Estas imagens, da  retirada dos símbolos da Guarda Fiscal  do quartel da antiga 3 ªCompanhia (Valença do Minho) do antigo Batalhão n.º 3 (Porto), tanto quanto sabemos por ordem de Comandos da GNR, representam um ato de indignidade e desrespeito da GNR por uma  ex-força  sua congénere, centenária, de que receberam  todo o património e que por Decreto-Lei  têm (teriam) a obrigação de preservar a  imagem e dignificar a sua memória. Enfim, os bons e os maus atos ficam com quem os pratica. E lá diz o sábio provérbio popular.  "Quem com ferros mata, com ferros há-de morrer!"






































DA PAROLICE

Estas imagens são também um exemplo da parolice e mediocridade dos Comandos da GNR que mandaram retirar estes símbolos. Mesmo que se quisesse  aproveitar o edifício para outro fim ( antes isso que abandoná-los e deixá-los serem "esventrados" por atos de vandalismo como sucedeu com centenas dos nossos quartéis), nada justifica esta tentativa de apagamento da história do quartel. Nada  impede que outro serviço ali funcione, que se coloquem as novas placas identificativas e símbolos, e que se mantenham os antigos onde sempre estiveram. É mesmo uma mais-valia. E quando se trata de um brasão deste nível, em pedra, com inegável qualidade estética, só daria dignidade e nobreza ao edifício. Já divulgamos fotos de vários dos nossos postos que passaram para particulares, empresas, juntas de freguesia, e  mesmo de alguns postos da GNR, onde os símbolos não foram retirados. antes preservados.
Podemos ver nas fotos abaixo três bons exemplos  de  ex-quartéis  da Guarda Fiscal onde os símbolos se mantiveram nas fachadas. É a diferença entre a Cultura e a Barbárie ( e ainda há quem fique muito admirado pelos "talibans" e outros  extremistas  destruírem os símbolos religiosos que consideram adversos). 




















Antigo Posto Fiscal da Macalta, agora  propriedade da Junta de Freguesia



















Antigo Posto Fiscal de Bruçó, agora resdidência Particular




















Antigo Posto Fiscal de  Campo Maior, agora Loja do Cidadão

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A Guarda Fiscal e o contrabando de ouro durante a 2ª Guerra Mundial

Com a devida vénia à página eletrónica Melgaço, entre o Minho e a Serra, aqui publicamos um excelente artigo sobre o contrabando de ouro durante a 2ª Guerra.

C.D.


O contrabando de ouro (1945) pela raia melgacense em relatório dos serviços secretos americanos



Posto Fiscal de Cevide  (Guarda Fiscal) em 1942


Autocarro da Auto Viação Melgaço e bomba de gasolina,
 de Artur Teixeira,  nos anos 50


Um relatório dos serviços secretos americanos datado de 6 de Maio de 1945 confirma que pela fronteira melgacense terá passado ouro rumo à Alemanha nazi durante a II Guerra Mundial. A mercadoria terá sido passada na raia entre Cevide e Castro Laboreiro.
No relatório refere-se que “As atividades de contrabando de ouro a partir de Portugal para Espanha continuaram através de Castro Laboreiro. As seguintes pessoas foram os principais envolvidos no contrabando: Francisco Esteves e seu filho Manuel Esteves, Manuel Pereira Lima, Adolfo Vieira, Adolfo Fragoso, Antero Rodrigues, Pedroso de Lima, Artur Teixeira - todos de Monção. Eles foram auxiliados pelos Tenentes Diamantino Leite e Júlio Araújo, encarregados dos postos da Guarda Fiscal de Monção e Melgaço, respectivamente.

O minério seria proveniente de algumas minas do Norte do País, chegando a Melgaço, onde contrabandistas engendrariam o esquema de fazer passar a mercadoria para lá da fronteira. Artur Teixeira, teria papel de destaque ou seria até mesmo o cabecilha da quadrilha, confirmando a informação dos serviços secretos norte-americanos, que, em 1945, o referenciavam como membro de uma “sociedade de contrabando”.  Artur Teixeira é um dos muitos nomes apontados em relatórios de espiões americanos, elaborados em 1945 a partir de Lisboa. Em declarações ao Diário de Notícias, na edição de 30 de Janeiro de 1997, populares da vila, que pediram anonimato, recordam ter sido essa a forma de Artur Teixeira e seus pares enriquecerem – os americanos falam em 24 mil contos na altura. “Ele emprestava aos mil e dois mil contos, comprou inúmeras propriedades. Tinha muitas posses”, garantem.
O Diário de Notícias, na mesma edição, refere também que Artur Teixeira conseguiu instalar um posto de abastecimento de combustível – único em Melgaço -, montou uma empresa de camionagem, que servia o concelho e terras vizinhas, e abriu uma agência de câmbios, resultado de “importantes contactos em instituições bancárias do Porto”.
Estas transações contaram, segundo este relatório com a conivência de vários guardas fiscais. De facto no relatório menciona-se que “O ouro, que foi trazido de várias partes do país, foi contrabandeado através do posto da Guarda Fiscal de Cevide, em frente à cidade espanhola de Frieira. Em seguida, era despachado por um Guarda Fiscal, de nome Guilhermino, em funções no posto de Cevide, e por um guarda fiscal do posto de São Gregório, chamado Celoso.”


Um dos indícios desta teia de corrupção apontado pelos espiões americanos é fruto da vigilância que é  feita às suas contas bancárias e a outras transações. No relatório é mencionado que “Há poucos dias, o guarda Celoso terá comprado parte de uma propriedade no valor de 400 000 escudos.”Deduzem os americanos que os lucros deste guarda fiscal do posto de S. Gregório obtidos com este esquema de contrabando terão sido empregues na compra da tal propriedade. Tal compra não seria possível apenas com o seu salário.








Informações extraídas de:
- Relatório nº A 58114-a, de 6 de Maio de 1945 com o título "Gold contraband activities". Office of Strategic Services, Intelligence Dissemination, Washington, D. C.;
Diário de Notícias, edição de 30 de Janeiro de 1997. 


Artigo retirado de : http://entreominhoeaserra.blogspot.pt/2014/07/relatorio-dos-servicos-secretos.html

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Inauguração do monumento e largo em homenagem ao tenente Seixas em BARRANCOS

Finalmente vai-se fazendo justiça  e reconhecendo-se aqueles que sacrificaram carreiras e a vida pessoal para praticarem atos humanistas defendendo a vida de "desconhecidos".

Foi o que aconteceu em Barrancos, a 14 de março de 2015, com a inauguração do Largo Tenente Seixas e a inauguração do monumento à Solidariedade, que assinalam a proteção  de mais de um milhar de espanhóis que seriam, certamente, fuzilados pelos franquistas, em 1936, durante a Guerra Civil de Espanha. Monumento "semelhante" já tinha sido erigido do outro lado da fronteira em Oliva e la Frontera.

Bem hajam  todos os que contribuíram para esta justa homenagem.

mais informações sonre o tenente Seixas e
:https://sites.google.com/site/picachouricosguardafiscal/tenente-seixas-da-gf-o-schindler-portugues

 C.D.









sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Posto da Guarda Fiscal do Cais do Sodré um ex-libris da Guarda Fiscal que desapareceu















Finalmente chegou-nos uma foto do antigo posto do Cais do Sodré, em Lisboa,
Tudo indica ( mas não temos a certeza) que a foto foi tirado aquando do centenário da GF em 1985, pois os uniformes que se  vêem foram feitos nessa época.
A bonita construção em madeira era um ex-libris da Guarda Fiscal e da cidade de Lisboa. 
Segundo informações que obtivemos esteve ativo até à extinção da Guarda Fiscal em 1993,
depois foi abandonado pela GNR, vandalizado e acabou por arder ( possivelmente incendiado por marginais). 
Dada a grande perda para a cidade e o seu grande simbolismo foi feita uma réplica ( não muito bem conseguida) que funcionou como bar: o "Guarda Rios". Depois essa nova construção foi sendo alterada, mudou de gerência, passou a restaurante e acabou por falir. Há poucos meses era outra vez abrigo para marginais e toxicodependentes. Recentemente foi vedado por tapumes.
Não poderia este exemplar único de posto da Guarda Fiscal, construído em 1904 ( que percorreu o mundo em postal ilustrado), e que conseguimos bem preservar durante quase um século, ser um núcleo museológico sobre a Guarda Fiscal, as Alfândegas e o Porto de Lisboa? Não seria um ótimo Posto de Turismo para os milhões de Turistas que nos visitam? 

Um dia será feita a devida JUSTIÇA à nossa Guarda Fiscal!


Postal Ilustrado com o antigo Posto da Guarda FISCAL (que se encontrava exposto no bar "Guarda Rio"



BAR "GUARDA RIO" cerca do ano 2000, em edifício reconstruío
Mais informações em:http://picachouricosgf.blogspot.pt/2009/07/cais-sodre-lisboa-antigo-posto-da.html

CD

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Posto da Guarda Fiscal de Lagoa de Albufeira - Abandonado pela GNR


Chegou-nos mais uma fotografia de um quartel da Guarda Fiscal  em galopante estado de degradação. Mais um! Numa zona balnear de excelência, bem perto de Lisboa, seria uma óptima casa de veraneio,  repouso, ou outros fins, assim o quisessem os Serviços Sociais da GNR.
Quanto não valeria um imóvel destes, no local onde está, para uma empresa privada de turismo?  É o país que temos! É o Estado que vamos tendo!

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Historial dos Convívios Nacionais dos Militares da Guarda Fiscal e Um Desfolhar de Lembranças, de Luís Infante
















O Sr. Major Luís Infante publicou recentemente duas obras de sua autoria: Historial dos Convívios Nacionais dos Militares da Guarda Fiscal  (1993-2014) e a coletânea Um Desfolhar de Lembranças, livros que teve a amabilidade de oferecer e enviar para a equipa do Picachouriços - Guarda Fiscal.

O primeiro, como o título indica, versa sobre os nossos Encontros Nacionais, de que é, como todos sabemos, grande impulsionador. O segundo contém poemas e outras "lembranças" da vida do Major.

O nosso obrigado e muitos parabéns por mais um projeto concretizado.

C.D.



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Posto Fiscal da Esperança - Arronches é sede da Junta de Freguesia




É com satisfação que damos notícia de mais um posto da nossa GUARDA FISCAL - o da Esperança, Arronches - que foi salvo do triste destino a que foram abandonados centenas de "irmãos" seus por parte da GNR e demais autoridades centrais de Lisboa.
Honra às organizações locais que vão preservando o património das suas áreas, ajudando a conservar a memória e história locais.

O Posto da Esperança é agora sede da Junta de Freguesia de Esperança-Arronches.

Vemos com agrado que, em alguns destes quartéis (alguns vendidos a particulares), o bom gosto e a noção da cultura  permitiram que os símbolos da guarda fiscal continuem "vigilantes" nas fachadas desses edifícios lembrando a sua antiga a função e a instituição a que pertenceram.
Infelizmente, a concepção retrógada  da GNR no que toca a estes assuntos, permitiu o roubo de dezenas de placas que tinham bem esculpidas a nossa estrela de 16 pontas ( rosa dos ventos) e as 5  quinas símbolo de Portugal, arrancou-os dos edifícios para que estes não fossem identificados e acusada de má gestão dos mesmos, ou tirou-os para colocar os seus.  

Temos notícia que na zona de Arronches, para além do Posto da Esperança agora recuperado, o Posto das Datas e Tarragais foram entregues/vendidos a particulares e o de Arronches, sito na rua Barroso, está devoluto.


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

21º Convívio Nacional dos Militares da Guarda Fiscal





20 de Setembro de 2014. Eram 10h00 quando as pedras da calçada portuguesa da Praça do Município começaram a ser pisadas pelos cerca de 400 Militares da Guarda Fiscal e seus familiares que mais uma vez quiseram dizer presente ao seu 21ºConvívio Nacional. Sorrisos, abraços, o “ olha quem ali está… “, o “ olha o Manuel…”, tudo serviu para se ver a alegria no rosto de tantos onde os anos já amachucam mas, reunidas forças, esta “ juventude” em movimento deixou para trás as mazelas e mostrou que a virtude da amizade veio para ficar.
E pelas 11h00 lá fomos escadas acima até ao Salão Nobre da Câmara Municipal onde nos aguardava o Ex.mo Presidente, o Vice-Presidente e alguns vereadores. O maj.Infante saudou e agradeceu a gentileza fazendo depois uma resenha dos Convívios e o porquê da escolha da cidade de Mangualde ( a Cidade que bem recebe). Em nome de todos os Militares ofereceu uma porcelana gravada alusiva à efeméride, o livro “ Historial dos Convívios…” e ainda o livro “ Um desfolhar de lembranças “ , de sua autoria. O Ex.mo Presidente da Câmara agradeceu a honra da escolha e ,em breves palavras, historiou o seu Concelho, as suas gentes, os seus costumes, as suas tradições. Ofereceu um lindo Jarrão em loiça vidrada, pintado à mão, com o brasão da Cidade de Mangualde e ainda uma brochura “ O Património da Cidade de Mangualde “. Colocou depois no Estandarte a fita comemorativa e já no exterior do edifício foi tirada a foto da praxe.

E lá fomos a pé, um mar de gente, um roubo à pacatez matinal das ruas da Cidade, até à Igreja Paroquial, integrada no interior de um Complexo de linhas modernas onde o Snr. P.João nos recebeu e celebrou para todos a Santa Missa em sufrágio dos colegas que já partiram. Foi-lhe ofertado também uma porcelana gravada e o livro “ Historial dos Convívios…”. E a terminar, o ponto alto, no dizer de muitos, dos Convívios – a leitura de uma Mensagem de Amizade compilada e lida pelo Maj.Infante que subordinou ao tema “ Não permitas que te chamem velho”, com realce para a citação de uma máxima de António Aleixo “ O mundo só pode ser melhor do que até aqui, se fizeres pelos outros mais do que fazes por ti “. Todos de pé expressaram o seu agrado num forte e prolongado coro de aplausos. Depois foi a debandada em cortejo automóvel até à Quinta onde nos esperava um conjunto de mesas espalhadas pelos relvados do jardim ,espelhando fartos e variados acepipes num colorido de sonho. Já no almoço foi guardado um minuto de silêncio e ecoaram  “ os gritos “ da GF e dos Convívios.


Os parabéns, o partir do bolo e o começo daquela ternura de abraços em despedida até 15 de Setembro de 2015…

Trilhos do Contrabando - Alandroal








TRILHOS DO CONTRABANDO INTEGRA O CICLO DE HISTÓRIA LOCAL E REGIONAL


Trilhos do Contrabando é a temática sobre a qual incide a III Sessão do Ciclo de História Local e Regional, decorre no próximo dia 27 de setembro de 2014, com ponto de encontro para as 18:00 horas junto ao antigo Posto da Guarda da Aldeia de Montejuntos (Freguesia de Capelins, concelho do Alandroal). 

A atividade com duração aproximada de três horas, destinada a toda a comunidade, a curiosos por História Local e Regional, a interessados em caminhadas conta com a presença do arqueólogo Luís Lobato de Faria, Presidente da Associação Projecto Raia Alentejana. Com a iniciativa ambiciona-se alertar a comunidade para as questões históricas, explorar a temática da Guerra Civil de Espanha e Regime Ditatorial em Portugal, dar a conhecer e efetuar o trajeto percorrido por contrabandistas e recordar memórias e histórias da fronteira. 

A sessão cuja participação é gratuita tem inscrição através de https://docs.google.com/forms/d/1RL78xHXxviTo0cT42iT3KvkClfFGumrSQdQqxPGzMb4/viewform?usp=send_form
Recomenda-se para participação na iniciativa, o uso de calçado e roupa confortável, e aconselha-se a levar lanterna pois parte do percurso é noturno.

Venha descobrir connosco!

Mais informação:
• CLA da Universidade Aberta em Reguengos de Monsaraz (Rua da Caridade nº 17, 1º andar – 7200 Reguengos de Monsaraz) | cla_regm@uab.pt 266 503 313 | 915 676 324
• Associação Projecto Raia Alentejana (APRA) | raiaalentejana@gmail.com | 965670853 | 966658519






Adélia Chumbo | Coordenadora do CLA da Universidade Aberta

Centro Local de Aprendizagem de Reguengos de Monsaraz

266503313 | 915676324




Goste da nossa página em:

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Posto da Guarda Fiscal de Malcata Recuperado - um feliz exemplo


Há já muito tempo que tínhamos dado notícia do estado lastimável em que se encontrava o posto da Guarda Fiscal de Malcata, conforme se pode ver nas duas primeiras fotografias que se encontram abaixo.
ANTES
Felizmente, por vezes, acontecem "milagres". A Junta de Freguesia empenhou-se e conseguiu recuperar e dar nova dignidade ao antigo quartel da Guarda Fiscal. Segundo José Nunes Martins, que colocou a foto do posto já recuperado na Web (ver última foto), o edifício irá servir para apoiar grupos de visitantes, como caminheiros,  BTT, e outros, bem como para promover a gastronomia local.

O Picachouriços-Guarda Fiscal irá fazer chegar à Junta de Freguesia de Malcata  o nosso elogio e parabéns pela recuperação do posto, e a sugestão de no seu interior colocar um pequeno placard que elucide os vistantes sobre a história do edifício, bem como algumas fotos e objetos que remetam para a Guarda Fiscal e para a atividade do contrabando na zona da serra da Malcata.
ANTES
Havendo uma crescente recuperação histórico-cultural e turística da antiga atividade do contrabando raiano de subsistência, talvez este edifício possa vir a servir, também, para apoiar a dinamização deste tipo de eventos, onde os trilhos do contrabando, os locais dos aguardos, das vigias, e as memórias de guarda fiscais, contrabandistas e carabineiros ganham nova vida.

BEM-HAJAM  todos os que contribuíram para  a recuperação do posto da GF de Malcata.





DEPOIS

domingo, 27 de julho de 2014

21º Convívio Nacional dos Guarda Fiscais - 20 setembro Mangualde


O 21º Convívio dos Militares da Guarda Fiscal terá lugar no dia 20 de setembro de 2014, na Quinta do Cisne, Gandufe, Mangualde.

Irá ser, certamente, mais um momento alto de convívio entre os "Picachouriços" que este ano terá um "brinde" especial. O major  Infante já concluiu o prometido  o livro sobre estes convívios anuais dos Guarda Fiscais  que será oferecido a todos os participantes.

Parabéns aos organizadores, em particular  ao major Infante pelo empenho e dedicação que pôs na elaboração desta obra sobre os nossos convívios.

Todas as informações sobre o 21º Convívio encontram-se no programa abaixo:







quinta-feira, 24 de julho de 2014

Posto abandonado da Guarda Fiscal da praia de Santa Cruz - Torres Vedras






Esta foto, da autoria de Tino Coelho, já tem alguns anos mas  são bem visíveis as marcas da degradação deste antigo posto da Guarda fiscal, situado junto à excelente zona balnear de Santa Cruz. Este quartel tinha  umas dimensões razoáveis e  um óptimo espaço envolvente. Ainda funcionou durante alguns anos ao serviço da Brigada Fiscal da GNR, sendo depois abandonado  à sua sorte como centenas de muitos outros por esse país fora.

Não sabemos qual o seu estado neste momento. Se ainda existe vandalizado? Se já foi demolido? Se foi vendido? Alguém que tenha informações sobre este velho quartel que dê notícias para o Picachouriços -Guarda Fiscal (picachouricos@gmail.com).

É por demais sabido que o abandono dos quartéis da Guarda Fiscal por parte da GNR não é um ato inocente, basta ler um pouco dos manuais da dita psicologia  militar dos "vencedores", nós diríamos dos maus vencedores, para compreender isso.

Com um dispositivo territorial com permanência em quase todos os concelhos do país, dotada dos melhores meios de manutenção da ordem pública e de defesa da propriedade e bens de todos (ou não se tratasse de uma força de segurança, ainda por cima militar), deixar assim esventrar, destruir, apodrecer, os antigos alvos postos da Guarda Fiscal, que lhe foram entregues para guarda e uso, seria inconcebível e incompreensível se não fosse um ato deliberado e intencional dos altos comandos da Guarda Nacional Republicana que de espírito republicano já pouco tem.

Restaria aos Serviços Sociais que "arrecadaram" alguns milhões de contos dos Serviços Sociais da Guarda Fiscal fazer alguma coisa por este património - no caso de Santa Cruz que excelente casa de repouso e veraneio não daria! Mas daí já não temos qualquer ilusão. Os Serviços Sociais de sociais pouco já têm também de sociais.  É  mais uma "empresa"  que vai organizando festins de fraca qualidade ao longo do ano, para dar lucro a algumas firmas de eventos, e para dar alguma justificação às centenas de milhares de euros que lhe vão chegando obrigatoriamente das cotizações dos associados.

Onde é que está o velho espírito de solidariedade dos Serviços Sociais. Tudo é negócio! Tudo é interesse! tudo é falta de ideias! camuflado em pretensas "modernices".

Abraço a todos os Guarda Fiscais, muito particularmente àqueles que no posto se Santa Cruz, durante décadas, cumpriram com zelo o serviço fiscal contra os defraudadores da Fazenda Nacional.

O amigo José Neves, que segundo compreendemos esteve colocado cerca de 20 anos no posto de Santa Cruz, colocou duas fotos (abaixo) do posto mas num estado de degradação mais avançada que a foto anterior. Comenta o José Neves que ainda lá se encontra a placa, junto à porta, com os dizeres " Brigada Fiscal da GNR" .









O major Luís Infante publicou a coletânea Um desfolhar de lembranças.

É com satisfação que anunciamos a publicação de mais uma obra literária da autoria de um Guarda Fiscal.
Trata-se da coletânea de poesia e prosa intitulada Um desfolhar de lembranças, da autoria do major Luís Infante.
 Ao autor, nosso colaborador e grande impulsionar dos convívios nacionais da Guarda Fiscal, desejamos os mulheres sucessos para esta sua obra, aguardando com espetativa a que está a preparar, precisamente, sobre os convívios nacionais dos militares da Guarda Fiscal. 



quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A nova BOINA : GNR volta a copiar a Guarda Fiscal


                                               Nova boina da GNR

Boina da Guarda Fiscal de Cabo Verde





                                                Crachá da actual Guarda Fiscal de Cabo Verde






O camarada "Sentinela Vigilante" enviou-nos "A Boina", crónica humorística a propósito do fardamento da GNR. Fomos investigar e realmente a Guarda Fiscal manteve-se como polícia fiscal ( embora integrada na Polícia Nacional), após a independência daquela ex-colónia, mantendo missões idênticas e não rejeitando a simbologia da "velha" Guarda Fiscal. Os nossos parabéns e um grande abraço para os "PICACHOURIÇOS" de Cabo Verde.


A BOINA

Com a extinção da Guarda Fiscal e integração de parte dos seus elementos e a totalidade dos seus bens na GNR, levada a cabo por políticos íntegros e de grande visão de futuro (é bom não esquecer os principais nomes e as "amizades": ANÍBAL CAVACO E SILVA, DIAS LOUREIRO, OLIVEIRA e COSTA, entre outros), a GNR viu-se obrigada a "cair em si" e a aperceber-se do seu atraso em muitos domínios, nomeadamente no fardamento. As polainas "foram à vida", a camisa verde cinza do exército "foi à vida", as calças de cotim "foram à vida", o capote "foi à vida" e optaram por um novo visual e uma nova cor, o azul, num novo fardamento em que se podem encontrar muitas referências no fardamento da GF e poucas na GNR, salvo a gola "gargantilha" do casaco n.º1. O velho fardamento da GNR, embora desactualizado, tinha uma aspecto muito positivo, com poucas variantes, era igual para todos os militares. E facilmente se reconhecia um militar da GNR, independentemente da unidade a que pertencia.

Depois foi um "regabofe" de quintinhas da vaidade e de desiners de moda duvidosos em que cada comandante arranjava uns polos assim, outros assados, mandava imprimir as iniciais da sua "quinta" e lá ia a rapaziada para a rua. Até já era difícil(ainda é) aos próprios militares da GNR identificar os camaradas tantas são as versões de fardamento. Uns é boina verde com risca, outros canarinha, outros chapéu branco, outros bivaque, uns azul claro, outros escuro, uns amarelo,outros verde, infantaria com botas de montar... Enfim, uma trabalhada supostamente legitimada pela identidade das múltiplas unidades, subunidades, serviços e empenhos.

Mas se isto foi permitido assim anarquicamente a quase todos, à Brigada Fiscal, unidade que pela sua origem e missões merecia alguma distinção (por exemplo mantendo o, para mim, bonito barrete tradicional azul a dois tons com a estrela dourada de 16 pontas na fronte, como aconteceu com a Brigada de Trânsito com o boné branco) sempre lhe foi vedada qualquer veleidade neste aspecto. Parece anedótico mas, na realidade, era a unidade que melhor andava uniformizada "à GNR", quer dizer, de acordo com os seus regulamentos.

Andava a "tropa" da GNR assim "desfraldada" e mal ataviada. Uma dor de cabeça para os comandos com a proliferação de tantas fardas, barretes e boinas, quando, dizem as más línguas, uma delegação da Guarda Fiscal de Cabo Verde - força de segurança fiscal, que os caboverdianos souberam preservar integrando-a na sua Polícia Nacional, mas não a descaracterizando e aniquilando como aconteceu com Guarda Fiscal da "metrópole" - veio fazer uma visita à GNR. Os comandos da Guarda olharam os Guarda Fiscais de Cabo Verde e sorriram: Era mesmo aquilo! Era aquela boina e aquela cor que precisavam para dar uma nova imagem à GNR. E lá tiveram que copiar, mais uma vez, o fardamento dos "picachouricos": Desta vez a boina verde da GUARDA FISCAL de Cabo Verde.

Sentinela Vigilante


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Será São Mateus o Padroeiro da GNR?

Permitam-me que em nome de todos os meus colegas presentes no 20ºConvívio Nacional dos Militares da Guarda Fiscal na cidade de Águeda, manifeste o meu repúdio, o meu desagrado porquanto uma vez mais fomos afrontados com atitudes menos consentâneas que gostaríamos de ver banidas de vez das relações que pretendemos ter com os diferentes serviços da Guarda. Já em Setembro de 2010 assistimos a uma situação que nos deixou deveras abalados - a marcação por parte dos SSGNR de um almoço na Caparica, no mesmo dia em que nos encontrávamos no nosso Convívio Nacional numa Quinta na Sobreda Caparica. Denunciámos a situação a quem de direito sendo informados que jamais voltaria a acontecer. Este ano , todavia, repetiu-se cenário idêntico. Os SSGNR publicitaram em desdobrável um passeio a Sevilha, precisamente em data coincidente com o nosso 20º Convívio, na data do nosso Padroeiro-S.Mateus, 21 de Setembro. Nesta mesma data, Infelizmente novo episódio aconteceu pois 3 dos autocarros,oriundos da zona do Porto,com colegas e familiares, devidamente identificados com o Logotipo do Convívio, na área de serviço de Antuã foram fiscalizados sendo o condutor de um deles autuado com uma coima de 600,00€ por não ter o seu nome completo exibido. Pergunto-me: porquê a razão de tudo isto acontecer, num dia que para nós é de festa, de amizade e que celebramos anualmente já lá vão 20 anos ? Porquê a marcação de eventos por parte dos SSGNR numa data que nada lhes diz ? Desconheço que S.Mateus seja também o Padroeiro da GNR... Haverá pessoas na GNR interessadas em desmotivar os nossos intentos ? Tudo indica que sim. Desconhecem que estamos a lembrar um Corpo Militar centenário que serviu no seu melhor o nosso País ? Aqui fica ,pois, a nossa reacção porque queremos continuar a ser aqueles militares que deram os seus melhores dias ao serviço de um Corpo Militar de prestígio invejável aqui e além-fronteiras e por isso dispostos a continuar a lembrá-lo com honra e com saudade no Dia do seu Patrono. Informo que o 21º Convívio ficou já agendado para 20 de Setembro de 2014. Luis Infante Major/Re